| |


Gastronomia e Cinema . “Cook Up a Storm” (2017) – 2022.05.17
17-05-2022
A Fundação Rui Cunha apresenta na terça-feira, dia 17 de Maio às 18:30, o terceiro da série de seis filmes dedicada ao tema da Gastronomia e Cinema, com o título “Cook Up a Storm” de 2017, assinado pelo realizador de Hong Kong Raymond Yip Wai-Man (葉偉民). Esta sessão não terá apresentação prévia.
O filme é uma comédia dramática, que tem como protagonistas a estrela de Hong Kong Nicholas Tse e o ícone-pop da Coreia do Sul Yong Hwa Jung. Os actores dão vida a dois talentosos chefes de cozinha: um que é famoso pela sua comida de rua cantonense e, o outro, um renomado Chef com Estrela Michelin que foi treinado em França. Por coincidência, ambos se tornam finalistas num importante concurso de culinária, transformado em verdadeiro campo de batalha entre estes dois concorrentes.
Apesar das diferenças, a frontal rivalidade altera-se por completo quando, ao descobrirem um inimigo comum, decidem combinar todos os seus talentos, abrindo espaço a um entendimento que resulta numa autêntica fusão entre o Oriente e o Ocidente.
“Cook Up A Storm” é a versão cinematográfica do conhecido reality-show “Chef Nic”, tendo sido parcialmente gravado no Hotel Studio City, do City of Dreams em Macau, na icónica Golden Reel, a roda gigante mais alta da Ásia.
Durante as filmagens, os protagonistas tiveram, ainda, oportunidade de se inspirar em alguns dos chefs de restaurantes locais Michelin, nomeadamente o Chef Tam Kwok Fung, Director de Operações Culinárias do Studio City, e o Chef Guillaume Galliot, Chef de Cuisine do Restaurante Tasting Room, todos parte do resort integrado do City of Dreams, o qual acabou por servir de cenário ideal para a realização deste filme.

O filme é falado em Cantonês, com legendas em Inglês.
Não aconselhável a menores de 13 anos (Grupo B).
A entrada é livre, mas sujeita a limitação de lugares.

Não perca!
Por Macau, Mais e Melhor!


“Cartas Portuguesas: Amar no Feminino” – 2022.05.05
05-05-2022
A Fundação Rui Cunha co-organiza na quinta-feira, dia 5 de Maio às 18:30, na Galeria da FRC, um Colóquio comemorativo do Dia Mundial da Língua Portuguesa, sob o tema “Cartas Portuguesas: Amar no Feminino”, em parceira com a Associação dos Amigos do Livro em Macau, o IPOR-Instituto Português do Oriente, a Fundação Oriente e o Consulado-Geral de Portugal em Macau e Hong Kong.
As “Cartas Portuguesas” datam de 1664 e foram atribuídas a Mariana Alcoforado, uma freira do Convento de Beja, que as terá escrito a De Chamilly, um militar francês que lutou por Portugal na Guerra da Restauração.
É um documento de romantismo exacerbado, fruto de uma paixão e entrega absolutas, que mereceu comentários de Stendhal e Rousseau. Talvez por isso se tenha tornado numa obra-prima da literatura universal e consagrado como um testemunho de amor total. Apesar do seu classicismo, tem despertado grande interesse no campo das artes: teatro, cinema e ópera.
A fim de divulgar esta grande obra literária, foram convidados para participar na sessão os seguintes oradores: Victor Correia (Lisboa, via zoom) com o tema "As Cartas Portuguesas – Amar em português e no feminino"; Leonor Diaz de Seabra (presencialmente na FRC) com "Mariana Alcoforado e a sua época"; Luciana Barboza (Brasil, via zoom) com "Cartas portuguesas em cena – A emoção no palco"; Myriam Cyr (Canadá, via zoom) com "Letters of a Portuguese Nun – Uncovering the Mystery behind a 17th Century Forbidden Love"; João Guilherme Ripper (Brasil, via zoom) com "Procedimentos composicionais na ópera Cartas Portuguesas"; Shee Vá (presencialmente na FRC) com "Carta a uma alma gémea"; e Lawrence Lei (presencialmente na FRC) com "Um sonho perfumado".

A sessão será realizada em Português, com interpretação simultânea para Cantonês.
A entrada é livre.

Não perca!
Por Macau, Mais e Melhor!


“Fazer Justiça VIII: Corrupção” – 2022.04.29
29-04-2022
A Fundação Rui Cunha e a Escola Portuguesa de Macau apresentam na sexta-feira, 29 de Abril pelas 15:00, um dos seus mais emblemáticos projectos: o Programa Fazer Justiça – VIII Edição, que em 2022 é dedicado ao tema da “Corrupção”.

Por ocasião do 10º Aniversário da Fundação Rui Cunha, e após dois anos de interregno, este evento volta a marcar presença no plano das celebrações da FRC, com o apoio incondicional da EPM desde a primeira sessão.

O CRED-DM – Centro de Reflexão, Estudo e Difusão do Direito de Macau da FRC pretende, através desta iniciativa anual, dar a conhecer aos jovens estudantes do secundário os fundamentos essenciais da Lei e da Justiça, bem como ajudá-los a compreender o sistema jurídico da RAEM.

Aos alunos, previamente seleccionados pela EPM, foi-lhes confiado um caso irreal para resolverem, através da construção dos intervenientes, das provas e de todo o cenário do julgamento.

A Sessão de Audiência e Julgamento será reproduzida ao vivo pelos jovens participantes na Galeria da FRC, sob a imprescindível orientação do ilustre Magistrado, Dr. Carlos Carvalho.

O evento é público, com entrada livre, e será transmitido live via Facebook, sendo falado em Português e Cantonês.
Não perca!

EM ABRIL, CELEBRE CONNOSCO
Por Macau, Mais e Melhor!


“Convergência e Integração do Sistema Legal (…) em HengQin” – 2022.04.28
28-04-2022
A Fundação Rui Cunha apresenta na quinta-feira, dia 28 de Abril pelas 18:30, uma conferência intitulada “Convergência e Integração do Sistema Legal na Área de Cooperação de HengQin”, inserida num novo ciclo dedicado a esta importante zona de cooperação com Macau. A primeira sessão contará com a participação de Lio Xiaohong, Sócia Sénior da Dentons, escritório de advogados em Hengqin. A moderar a conversa estará Zhao Lu, Sócio Sénior do escritório C&C Advogados, em Macau.

A Região da Grande Baía de Guangdong-Hong Kong-Macau (GBA) é um dos mais relevantes projectos para o desenvolvimento futuro da República Popular da China, o qual agrega, por si só, 12% do produto interno bruto chinês. Este é um projecto que pretende atrair talento, empresas e investimento de outras regiões da China, mas também do exterior, aspecto fundamental para cimentar o estatuto da região como líder em inovação.

Macau tem um papel central no projecto, papel esse associado não só ao seu estatuto como centro internacional de turismo, mas também ao seu perfil internacionalista e, sobretudo, como plataforma entre a China e os países de língua oficial portuguesa.
Neste enquadramento, a recém-criada Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin sinaliza um salto qualitativo no papel da RAEM no processo de construção da Grande Baía. Com um mercado de mais de 100 milhões de pessoas e espaço físico para crescer (Hengqin), esta é uma fantástica oportunidade para Macau se expandir e se consolidar no xadrez regional, catapultando o território para a tão almejada diversificação económica.

Perante o potencial de negócios e investimentos, importa compreender qual o sistema jurídico que melhor se coaduna com os objectivos traçados. Será que o Direito de Macau deverá expandir-se até HengQin? Ou manter-se-á vigente o Direito chinês?

Sendo HengQin parte de um projecto de integração da Região Administrativa Especial de Macau na Grande Baía, nada melhor do que procurar encontrar pontos de convergência em ambos os sistemas jurídicos. Este é o mote para o conjunto de conferências temáticas a realizar pela Fundação, periodicamente, onde se procurará reflectir e contribuir para a construção do futuro sistema legal em HengQin.

A conferência será falada em Mandarim, com interpretação simultânea para Português e Cantonês.
A entrada é livre, sujeita à capacidade da sala.
Não perca!

EM ABRIL, CELEBRE CONNOSCO
Por Macau, Mais e Melhor!


“Rodrigo Leal de Carvalho: O Homem e a Obra Literária” – 2022.04.27
27-04-2022
A Fundação Rui Cunha apresenta na quarta-feira, dia 27 de Abril pelas 18:30, a conferência “Rodrigo Leal de Carvalho: O Homem e a Obra Literária”, em parceria com a Associação dos Amigos do Livro em Macau. A sessão irá contar com a participação de Miguel de Senna Fernandes, Rogério Beltrão Coelho e Dora Gago, ficando a moderação a cargo de Shee Va.

Na semana em que a Fundação assinala o seu 10º Aniversário, e sendo um dos objectivos desta instituição contribuir para o desenvolvimento da identidade jurídica e cultural do Território, nada mais oportuno do que falar sobre uma figura do Direito e da cultura de Macau, que aqui residiu e trabalhou cerca de quatro décadas, embora de forma não continuada.

Rodrigo Leal de Carvalho exerceu, primeiramente, funções de Delegado do Ministério Público, seguindo-se uma segunda estada para o exercício de funções enquanto Juiz de Direito. Regressou pela terceira vez a Macau como Procurador da República, posteriormente com a designação de Procurador-Geral Adjunto. Em 1996 foi nomeado Presidente do Tribunal de Contas, lugar que deteve até às vésperas da transferência da Administração do Território para a República Popular da China, regressando a Portugal ainda em 1999.

No que às artes diz respeito, Rodrigo Leal de Carvalho fez a sua estreia literária apenas na década de noventa, tendo sido, a partir daí, bastante produtivo no seu percurso literário. Com o lançamento do primeiro romance, intitulado “Requiem por Irina Ostrakoff” (1993), demonstrou desde logo as suas potencialidades como escritor. Galardoado com o Prémio Camilo Pessanha 1993, atribuído pelo Instituto Português do Oriente, esta sua obra seria em 1999 também publicada em língua chinesa.

Em 1994 foi a vez de publicar “Os Construtores do Império”, logo seguido, em 1996, de dois novos romances: “A IV Cruzada”, em que o autor em parte se assume como protagonista, e “Ao Serviço de Sua Majestade”. Em 1999 publicou “O Senhor Conde e as Suas Três Mulheres”. Com fina ironia e delicadeza, Rodrigo Leal de Carvalho revelou-se um exímio escritor das memórias da cidade de Macau e do universo do funcionalismo português de além-mar, das décadas de 1950 e 1960, recreando ambientes e vivências testemunhadas por ele mesmo, e devidamente enquadradas no panorama da conjuntura mundial do século XX. O seu trabalho veio a despertar a atenção de investigadores como David Brookshow e Lee Shuk Yee.

Toda a sessão será realizada em língua portuguesa, sem interpretação.

A entrada é livre, sujeita à capacidade da sala.

Não perca!



EM ABRIL, CELEBRE CONNOSCO

Por Macau, Mais e Melhor!


Pauta de Histórias . “A Harmonia do Contraponto” – 2022.04.26
26-04-2022
A Fundação Rui Cunha apresenta na terça-feira, dia 26 de Abril pelas 18:30, a conferência "A Harmonia do Contraponto", em parceira com a Associação dos Amigos do Livro em Macau, a Associação dos Calígrafos de Macau e a Associação dos Amigos da Poesia do Jardim da Flora.
O evento terá apresentação do Mestre Kou Tak Kuong, em Cantonês, com interpretação consecutiva para Português por Shee Va.
Na semana em que a Fundação assinala o seu 10º Aniversário, e sendo um dos objectivos desta instituição contribuir para o desenvolvimento da identidade cultural de Macau, nada mais oportuno do que falar sobre o valor e o simbolismo dos dísticos chineses, presentes em múltiplos edifícios da cidade.
Com uma existência milenar, este elemento da literatura chinesa possui diferentes categorias e funções. De uma forma simples, trata-se de dois versos oponentes, mas nem por isso contraditórios. Pelo contrário, estes emparelham-se e complementam-se para estabelecer a harmonia tão aspirada pela Humanidade.
O dístico chinês é, pois, um objecto tangível da cultura chinesa, cujo conteúdo é intangível pelas ideias e valores que encerra. A sua importância no quotidiano e na cultura chinesa deve, por isso, ser entendida por todos e, em especial, pela comunidade de expatriados residente em Macau.
O Mestre Kou Tak Kong procurará esclarecer estes detalhes, explicando o conteúdo e as regras utilizadas na elaboração dos dísticos, para uma melhor compreensão desta importante manifestação da cultura oriental.

A entrada é livre, sujeita à capacidade da sala.
Não perca!

EM ABRIL, CELEBRE CONNOSCO
Por Macau, Mais e Melhor!


“Responsabilidade Social Empresarial: O Próximo Passo” – 2022.04.25
25-04-2022
A Fundação Rui Cunha e a MBtv Debates realizam, no dia 25 de Abril, segunda-feira pelas 18:30, uma conferência intitulada "Corporate Social Responsibility: The Next Level", inserida no ciclo Business Series da MBtv, uma parceria entre a FRC, a Macau News Agency e a Macau Business.
Mais do que um chavão, a Responsabilidade Social das Empresas (RSE) tornou-se uma componente chave das operações empresariais a nível mundial.
Em Macau, os principais agentes empresariais estão cada vez mais conscientes da importância e necessidade da Responsabilidade Social Empresarial e da Sustentabilidade. Como pode ser conduzida a um nível mais profissional? Como fazer a RSE correctamente? Que papéis podem desempenhar o Governo, as empresas e a sociedade civil?
Tais questões serão abordadas nesta primeira conferência de 2022, que contará com os seguintes oradores: Edmond Etchri, Director de Produção, CEM; Mary Mendoza, Directora Executiva, The Platinum Limited; Ruby O., Fundadora e Presidente, Society of Food and Environmental Health (Macao) e Tiffany Leung, Secretária da Assembleia Geral, Instituto de Responsabilidade Social da Grande China Macau.
A sessão será moderada por Nelson Moura e José Carlos Matias e realizada em língua inglesa na Galeria da FRC.
O debate irá também ser transmitido em directo na página da Fundação Rui Cunha no Facebook, e na página da MBtv no Facebook.

A entrada é livre, sujeita à capacidade da sala.
Não perca!

EM ABRIL, CELEBRE CONNOSCO
Por Macau, Mais e Melhor!


Conversas Ilustradas com Música - 2022.04.21
21-04-2022
A Fundação Rui Cunha apresenta no próximo dia 21 de Abril de 2022, Quinta-feira, às 18h30, mais uma sessão de Conversas Ilustradas com Música, desta feita sob o tema da Amizade.

No mês em que a Fundação assinala o seu 10º aniversário, nada mais apropriado que o celebrar através de um dos sentimentos mais nobres e puros, sempre motivo de júbilo e felicidade. Se existem no mundo forças capazes de mover os homens positivamente, a amizade é, sem dúvida, uma delas.

Já Platão dizia que a amizade é uma predisposição recíproca que torna dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro.

Conscientes que a celebração de um aniversário constitui por si só um acto de felicidade que pode e deve ser partilhado, Shee Va e José Carlos Pereira propõem assinalar o 10º aniversário da Fundaçao Rui Cunha sob o tema do afecto, carinho, estima e dedicação, sentimentos alicerçados nos colaboradores desta instituição a qual tem no desenvolvimento sociocultural de Macau e das suas Gentes, uma das bandeiras fundamentais.

Porque a amizade se torna mais florescente através das notas musicais que todos estamos habituados a ouvir nas Conversas Ilustradas com Musica, seleccionámos para esta sessão a amizade entre dois compositores, Benjamin Britten e Dmitri Shostakovich que, pese embora separados pela língua e pela Cortina de Ferro em tempos de Guerra Fria, sempre se entenderam através da arte e da profunda admiração que nutriam pela música um do outro.

Britten dedicou a Shostakovich a sua ópera “O filho prodigo”, tendo este retribuído com a XIV Sinfonia.

A postura moral de ambos perante a música, os homens e a sociedade foi o que mais os uniu. Ninguém deverá ser privado de ter consciência, porque perde-la é perder tudo.

Ambos foram, verdadeiros, alicerces na construção da música do Seculo XX, o que levou o maestro britânico Jan Latham-Koening a fundar a Britten-Shostakovich Festival Orchestra, a qual agrega jovens músicos oriundos dos Conservatórios dos dois países de origem dos compositores.

Estas e muitas outras histórias serão reveladas em mais uma sessão de Conversas Ilustradas com Música, Quinta-feira, 21 de Abril, às 18h30, na Fundação Rui Cunha, a qual não poderá perder.

Contamos com todos na celebração destes 10 anos da Fundação.

Este evento será realizado em língua portuguesa.

Entrada livre.


Gastronomy & Cinema . “Tampopo” (1985) – 2022.04.19
19-04-2022
A Fundação Rui Cunha apresenta, terça-feira, dia 19 de Abril, às 18h30, o segundo filme, da série Gastronomia e o Cinema.

Inserido nas comemorações do 10º Aniversário da Fundação, escolhemos para esta sessão o renomado filme japonês Tampopo.

Realizado por Jûzô Itami, Tampopo é uma elegante comédia japonesa em que a arte culinária desempenha o papel de fio condutor entre diversas narrativas.

A história principal gira à volta de dois amigos: um camionista e o seu companheiro que um dia, ao pararem num restaurante, são confrontados uma das suas piores experiências degustativas após provarem um intragável Ramen (sopa de macarrão), feito pela proprietária, Tampopo (Nobuko Miyamoto).

Tampopo é uma simpática viúva, que perante o seu falhanço culinário, pede-lhes ajuda para melhorar o seu método de confecção. É então que começa um verdadeiro périplo por vários restaurantes, pesquisando, investigando e descobrindo segredos com vista à confecção do Ramen perfeito.

Paralelamente à saga de Tampopo e seus amigos, são apresentadas outras pequenas narrativas, as quais se desenrolam sempre à volta da alimentação e seus rituais com especial destaque para a relação sensorial entre as pessoas e a comida, salientando a importância desta na cultura e sociedade japonesas.

Vencedor de vários prémios nacionais e internacionais, Tampopo, é um filme de culto para todos os amantes da Gastronomia na 7ª arte, sendo por isso, imperdível vir assistir a mais esta sessão de cinema, a ter lugar na Fundação Rui Cunha, Terça-feira, dia 19 de Abril, às 18h30, precedida por uma pequena apresentação a cargo de Dennis Tou Kuok Keong, Chef do Restaurante de Ramen Sio Seng Hin, Taipa.

A Entrada é livre mas sujeita a limitação de lugares.

Este filme é falado em Japonês, com legendas em inglês

Interdito a menores de 13 anos (Grupo C).

Contamos com a presença de todos nesta viagem cinematográfica à volta da Gastronomia mundial.


Gastronomia e o Cinema - 2022.03.29
29-03-2022
A Fundação Rui Cunha apresentará, na próxima terça-feira, dia 29 de Março, às 18h30, o primeiro de uma serie de seis filmes, cujo mote gira em torno da Gastronomia e o Cinema.

A história da gastronomia funde-se com a história do próprio homem, uma vez que a comida se encontra presente na sua vida desde o momento do seu nascimento até à sua morte.
Nos dias de hoje, as sociedades deixaram de comer apenas para viver. O acto de comer enquanto mecanismo automatizado e exclusivamente prático deu lugar a um verdadeiro ritual alquímico, culturalmente transformador e por vezes mágico.

Se por um lado a gastronomia é um elemento identitário e o espelho da riqueza cultural dos diferentes países, por outro, é um riquíssimo ponto de encontro e elo de ligação entre os povos.
Macau, fazendo jus à sua secular multiculturalidade dispõe, como não poderia deixar de ser, de uma impressionante variedade de tipos de cozinha, de diferentes origens - portuguesa, chinesa, japonesa, indiana, etc - fazendo desta cosmopolita região um verdadeiro paraíso para os visitantes apreciadores de comida.

É exactamente como forma de enaltecer esta importante valência do Território que a Fundação Rui Cunha, elegeu a gastronomia como tema central deste novo ciclo de cinema.
Com uma periodicidade mensal, Gastronomia e cinema, abre as suas portas com o filme Eat Drink Man Woman, realizado pelo incontornável Ang Lee.

Comer, beber, homem, mulher, os quatro elementos que criam e mantêm a vida. Para o maior cozinheiro de Taiwan a comida é vida. Apesar dos seus dotes culinários serem reverenciados por todos, não é capaz de confeccionar o mais sublime dos pratos: a educação das filhas Jia-Jen, uma professora de química convertida ao cristianismo, Jia-Chen uma executiva numa empresa de aviação e Jia-Ning uma estudante que trabalha num restaurante de fast-food.

A vida em casa desenvolve-se em torno do ritual de elaboração do jantar de família aos domingos onde cada uma das filhas actualiza e compartilha com o pai as novidades das suas vidas. Pelo meio dessas conversas, as raparigas vão-se apercebendo que a casa onde cresceram é pequena demais para os seus sonhos e aspirações, colocando em causa a ideologia familiar tradicional e começando a fazer a transição para as tradições modernas, bem mais harmónicas com os seus destinos.

Eat Drink Man Woman foi um sucesso de crítica e bilheteria, tendo recebido, entre outros, o prémio de melhor filme no Festival Asia Pacific Film e sendo mais tarde nomeado para Melhor Filme Estrangeiro nos Óscares de 1995.

Em 2019, o National Kaohsiung Center for the Arts apresentou uma produção musical intitulada Eat Drink Man Woman: The Musical, sendo este uma adaptação directa do filme.
A sessão terá lugar na Fundação Rui Cunha, Terça-feira, dia 29 de Março, às 18h30, sendo precedida de uma pequena apresentação pelo Chef Alex Ieong, Chef executivo do Restaurante Solmar.

A Entrada é livre mas sujeita a limitação de lugares.
Este filme é falado em mandarim, com legendas em inglês
Interdito a menores de 13 anos (Grupo C).
Contamos com a presença de todos nesta viagem cinematográfica à volta da Gastronomia mundial.
CONSULTE TODOS OS DESTAQUES
II Semana Da Cultura Chinesa
Site by omsite.com