| |


Ver Mais
Blue Card Holders – The unloved?
08-10-2020
Blue Card Holders – The unloved?
October 8, 6pm (GMT+8)
Co-organization: Rui Cunha Foundation and MBtv Debates

Speakers:
Seow Yuen Loh - Managing Director - MSS Recruitment Hello-jobs.com
Melody Lu - Associate Professor, Department of Sociology, University of Macau
Icília Berenguel – Senior Associate Lawyer, C&C Lawyers

Moderators:
José Carlos Matias
Nelson Moura

The Rui Cunha Foundation and MBtv Debates will hold on the 8th of October, at 6 pm a conference on Blue Card Holders – the unloved? Inserted in Current Series of MBtv Debates.
Non-resident workers, commonly called blue or white cards, continue to feel that they are only doing well in Macau when Macau is doing well for itself; when times are good, and local workers do not want or are not qualified to do jobs that, at that time, are left for others. And when times go wrong, non-resident workers feel the burden of difference.

Not only do they not receive the same treatment from the government when it distributes financial support and other benefits, but they are also the first to be dismissed, because the local population would not welcome their own removal, with or without Covid-19.
Is this really the situation that, according to some critics, edges on the borders of xenophobia, or is it an overstatement?
Besides that, in the rest of the world, isnt the temptation substantially the same: that of protecting the local people in the first place?

Meanwhile, as Macau gears up to embrace the Greater Bay Area development plan, imported labour is set to play a crucial role to enhance the city’s competitiveness. How to protect the local manpower, have a more humane approach to migrant workers, attract talents and ensure that companies have access to the workforce they need to prosper?
One of the debates of the moment not to be missed, with three experts who will discuss the why and the consequences of a trend that tends to divide societies.

Thursday, 8 of October, at 6.00pm, in the auditorium of the Rui Cunha Foundation, Seow Yuen Loh, Melody Lu and Icília Berenguel, are interviewed by José Carlos Matias and Nelson Moura in yet another edition of MBtv debates, in partnership with the Rui Cunha Foundation.

This conference is broadcasted on FRC Facebook page and MBtv Facebook page.
The speeches will be delivered in English.

If you cannot attend the conference at FRC Gallery but wish to participate on the Q&A, please make your registration using the Zoom Webinar link

https://zoom.us/webinar/register/WN_hvUkM5BgRUaZ8Mk5R9QkCA

Entry is free, but subject to limitation due to compliance with the regulatory health measures in force.
Dont miss!
For Macau, Further and Higher!


Ver Mais
Serões com História
23-09-2020
A Fundação Rui Cunha, através do CRED-DM e a Associação dos Antigos Alunos da Escola Comercial “Pedro Nolasco” (AAAEC), realizarão no próximo dia 23 de Setembro, Quarta-feira, às 18h30, na Fundação Rui Cunha a segunda conversa de 2020 intitulada “Como definir um Macaense”, protagonizada por Jorge Forjaz.
Uma das perguntas que mais povoam o cenário de quem se dedica, de qualquer perspectiva, à História de Macau, é «O que é o Macaense», ou, «Como definir um Macaense».

Se somarmos todas as opiniões expendidas nas últimas dezenas de anos, encontraremos provavelmente a resposta.
Todos tem alguma razão..., e todos acham que os outros não tem totalmente razão!
Eu serei mais um deles - 20 anos a estudar as Famílias Macaenses, dão-me direito a ter uma opinião! Que não será, certamente, consensual, nem definitiva. Mas é um ponto de vista que terei muito gosto em partilhar com os participantes nestes tão sugestivos «Serões com História».
Assim se mantem vivas as memórias...
Jorge Forjaz, é licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com o curso de Bibliotecário-Arquivista.

Foi Director do Museu e Conservador da Biblioteca Pública de Angra do Heroísmo e Director Regional dos Assuntos Culturais da Região Autónoma dos Açores.
Entre 1989 e 1992, Jorge Forjaz foi Secretário-geral do Festival Internacional de Música de Macau.
Durante esse tempo, pesquisou as genealogias dos macaenses. O resultado desse exaustivo trabalho deu origem a Famílias Macaenses, publicado pela primeira vez em 1996 e com uma segunda edição revista e actualizada (com mais 80 capítulos), levada à estampa em 2017.

Cumprindo o formato habitual destes Serões com Histórias, o nosso convidado partilhará eventos e factos curiosos, proporcionando, esperamos nós, agradáveis momentos de convívio e diálogo entre todo o público presente.
A sessão será moderada José Basto da Silva, actual presidente da Associação.
A sessão será em língua portuguesa.

A Entrada é livre.
Contamos Consigo!
Por Macau Mais e Melhor!


Ver Mais
Macau Gaming – A reality check
10-09-2020
Macau Gaming – A reality check, September 10, 6pm (GMT+8)

Co-organization: Rui Cunha Foundation and MBtv Debates
Speakers:
Ben Lee – Managing Partner IGamix Management and Consulting Lda
David Green – Principal of Newpage Consulting
Jorge C. Oliveira – Former Commissioner for legal affairs Macau Gaming Commission

Commentaries:
Nuno Sardinha da Mata – Lawyer, Partner C&C Lawyers

Moderators:
Paulo A. Azevedo
José Carlos Matias

The Rui Cunha Foundation and MBtv Debates will hold on the 10th of September, at 6 pm a conference on Macau Gaming – Reality Check inserted in Gaming Series of MBtv Debates.
Its been a year to forget. The gaming results - Macaus main industry - were shattered by the consequences of the coronavirus and the city shuddered for the first time in many years.

It has been a painful wake-up call to a new reality, and game operators, although confident in the future, are now more aware that the sky has limits too, and that there must be contingency plans. They are not the only ones.
The government is also trying the impossible: to find alternatives to the current SAR economic model, so far without much success.

While we are all waiting for the miracle of a Covid-19 vaccine, Beijing is again allowing individual tourist visas. A first sign that the worst may be over. And Macau eagerly awaits signs of the new gambling concessions, which are due to be delivered in less than two years by international tender, unless the government revises the current gaming law.

A scorching theme that promotes a conference not to be missed, even by the ‘weight’ of the guests.
Thursday, 10 of September, at 6.00pm, in the auditorium of the Rui Cunha Foundation, Ben Lee, David Green and Jorge Oliveira are interviewed by Paulo A. Azevedo and José Carlos Matias and with comments from Nuno Sardinha da Mata in yet another edition of MBtv debates, in partnership with the Rui Cunha Foundation.
This conference is broadcasted on FRC Facebook page and MBtv Facebook page.
The speeches will be delivered in English.

If you cannot attend the conference at FRC Gallery but wish to participate on the Q&A, please make your registration using the Zoom Webinar link

https://zoom.us/webinar/register/WN_xLnrNgVJSputXa9r_olRig

Entry is free, but subject to limitation due to compliance with the regulatory health measures in force.

Dont miss!
For Macau, Further and Higher!


Ver Mais
Accounting and Media Ethics
02-09-2020
Co-organizers: FRC – CRED-DM, MICSRGC and AIPIM (Associação de Imprensa em Português e Inglês de Macau)
Speakers: Carlos Noronha – Associate Professor, University of Macau; Vice President of the Executive Council of MICSRGC; Joao Francisco Pinto – Chairman of General Assembly of AIPIM
Moderator: Jose Carlos Matias – President, AIPIM

Accounting and Media Ethics: A Corporate Social Responsibility Perspective

The Rui Cunha Foundation presents on September 2nd, Wednesday, 7:00 pm, the conference “Accounting and Media Ethics: A Corporate Social Responsibility Perspective”, a co-organization by the FRC’s CRED-DM (Center for Reflection, Study and Dissemination of Macau Law), the MICSRGC (Macau Institute for CSR in Greater China) and AIPIM (Macau Portuguese and English Press Association).

In this seminar, we will look into the importance of media in the conduct of research in the areas of accounting, accountability and CSR. These branches of research often rely on the input of social media information (corporate reports, newspapers, and other social media) and, therefore, the quality and reliability of these media reports represent an important concern, not only in the academic field, but also in terms of realistic societal concerns.

The two speakers – a seasoned journalist and a reputable researcher of CSR – will provide insights as to how media and social accounting research can go hand-in-hand. This event will be held in English.

Don’t miss it!
For Macau, Further and Higher!


Ver Mais
Eça de Queiroz
20-08-2020
A Fundação Rui Cunha, a Associação dos Amigos do Livro em Macau e o IPOR – Instituto Português do Oriente, apresentam, conjuntamente, um Programa comemorativo dos 120 anos da morte de Eça de Queiroz.
Repartido em três sessões, sempre às 18h30, o público de Macau, falante de português, terá oportunidade de reviver Eça o diplomata, Eça na Ópera e Eça no cinema.

As conversas interessantes são classificadas de boas e suculentas quando as palavras fluem umas atras das outras como as cerejas que são doces e carnudas.
Porque das cerejas se fazem doces e compotas, além de bolos e outras gulodices, uma cereja no topo do bolo surgiu-se-nos com o expoente da literatura do realismo português – Eça de Queiroz.

Assim e em parceria com o IPOR, a Associação dos Amigos do Livro convidou Carlos Frota, o primeiro cônsul-geral de Portugal na RAEM para nos dar a conhecer a faceta de diplomata do escritor.
Será que na carreira diplomática de José Maria Eça de Queiroz prevalecia o olho de jornalista e de romancista caustico na defesa dos interesses de Portugal?

Obteremos esta resposta na palestra que terá lugar no Auditório do Consulado Geral de Portugal, no dia 13 de Agosto, pelas 18:30h.
A propósito da ópera ou das árias líricas referenciadas nos seus romances cuja alusão é circunstancial ou tem um objectivo estruturante, as «Conversas Ilustradas com Música», produzidas por Shee Vá na Fundação Rui Cunha, cujo ciclo, no corrente ano, tem como temática «A ópera na literatura – Ouvir com os olhos» incluíram este autor e os seus ditos na programação em curso.

Para a sessão do dia 20 de Agosto, às 18h30, convidamos a professora Ana Paula Dias para apresentar “Eça na ópera”.
Nesta sessão, ouviremos alguns trechos musicais e ficaremos a saber, em concreto, qual a intenção do autor nessa intersecção entre a música e as palavras.

Saborear as palavras e as frases de Eça é essencial para a construção da Portugalidade.
Criticar o país é uma forma de o amar.
Dá-lo a conhecer através dos pensamentos fixados nos traços de uma pena é função do escritor.
A habilidade e a subtileza da acção transcende a força das palavras. Daí a importância das traduções das obras, o modo e a circunstância da leitura.
Eça pode ser lido em inglês, francês, espanhol, entre outras línguas.

O grande exemplo de internacionalização do autor é a versão mexicana do filme El crimen del padre Amaro, do realizador Carlos Carrera, com Gael Garcia Bernal, Ana Claudia Talacon e Sancho Garcia, a exibir no próximo dia 1 de Setembro, às 18h30, na Fundação Rui Cunha.
Neste que será o evento de encerramento do Programa Comemorativo dos 120 anos da morte de Eça de Queiroz, teremos oportunidade de visionar esta adaptação cinematográfica, antecedida de uma abordagem do romance pela professora Alexandra Domingues, em substituição de Dora Nunes Gago, anteriormente anunciada.

Seja curioso e venha descobrir o que Eça pretendeu dizer nas linhas que escreveu e deixou gravado nas entrelinhas.
Parafraseando-o: “Curiosidade é o instinto que leva alguns a olhar pelo buraco da fechadura, e outros a descobrir a América”.
Poderemos, nos tempos actuais acrescentar: … e levantar o manto diáfano que cobre a China? Estamos de portas abertas, venha conhecer o mundo.

Todas as sessões serão realizadas em língua portuguesa.
A Entrada é livre, mas sujeita a limite, em virtude do cumprimento das medidas sanitárias regulamentares em vigor.

Contamos consigo!
Por Macau, mais e melhor


Ver Mais
Real Estate in Macau
13-08-2020
August 13, 6pm (GMT+8)

Co-organização: Rui Cunha Foundation and MBtv Debates

Oradores:
Alex Cheng – General Manager Ambient Properties
Mark Wong – Director JLL
Nestor Ng – President Anzac

Moderadores:
Paulo A. Azevedo
José Carlos Matias

A Fundação Rui Cunha e a MBtv Debates realizarão, no próximo dia 13 de Agosto, pelas 18 horas, uma conferência intitulada Real Estate in Macau: time of uncertainty? inserida no ciclo Business Series da MBtv.

A par da crise pandémica que a todos afectou, o mundo depara-se, agora, com uma profunda crise económica, a qual traz à superfície novos paradigmas sociais: Se por um lado olhamos para as indústrias a reavaliar a sua viabilidade e sustentabilidade, por outro lado, assistimos a um zelo acrescido na forma como os cidadãos investem os seus recursos financeiros.

Uma das principais prioridades continua a ser o sector imobiliário. Ter uma casa é essencial para qualquer família mas, em sociedades como as de Macau, onde a falta de espaço é um obstáculo dificilmente contornável, fazer investimentos imobiliários tem sido uma opção segura a medio e longo prazo, dadas as certezas de um bom retorno financeiro, mesmo com os valores elevadíssimos das fracções residenciais e comerciais.

Num presente de profunda incerteza, qual o real impacto deste tsunami económico, causado por seres microscópicos, num mercado imobiliário de Macau, totalmente afectado pela devastação das receitas do jogo e pelo colapso de um turismo que não consegue atravessar fronteiras fechadas?
Que futuro estamos a construir em Hengqin? Complementaridade ou competição?
Três especialistas imobiliários, Alex Cheng, General Manager Ambient Properties, Mark Wong, Director JLL, e, Nestor Ng, President Anzac, analisam os prós e os contras e a evolução deste mercado no território, numa sessão moderada por Paulo A. Azevedo e José Carlos Matias.

Será que esta é a hora de comprar ou de vender?
Qual o melhor momento para renegociar arrendamentos e,
Que papel caberá ao governo no sentido de preservar a estabilidade do sector a par do poder de compra?
Real Estate in Macau: time of uncertainty? ou, a resiliência de um sector que consegue navegar num oceano de dificuldades é o que a MBtv se propõe debater, quinta-feira, 13 de Agosto, pelas 18 horas, no auditório da Fundação Rui Cunha, numa parceria entre a Fundação Rui Cunha e a Macau-Associação Internacional de Conferências e Convenções.

Esta conferência será transmitida em directo na página da FRC no Facebook, e na página da MBtv no Facebook.
A sessão será realizada em língua inglesa.
Caso não consiga assistir ao vivo e pretenda participar na parte de perguntas e respostas, por favor registe-se no zoom webinar, através do link:

https://zoom.us/webinar/register/WN_7cxOzSaIRbKnptRdZWrKcw

A Entrada é livre, mas sujeita a limite, em virtude do cumprimento das medidas sanitárias regulamentares em vigor.
Contamos consigo!
Por Macau, mais e melhor!


Ver Mais
Guan Daosheng (1262 – 1319)
01-08-2020
A Fundação Rui Cunha e a Associação dos Amigos do Livro em Macau realizam, dia 1 de Agosto de 2020, às 16h30, na Galeria da FRC, uma sessão comemorativa dos setecentos anos do falecimento de Guan Daosheng.
Numa sociedade inteiramente dominada por homens, em que a tradição confuciana conferia à mulher um espaço limitado pelas quatro paredes de um quarto ou, se tanto, demarcado pelos muros do lar, Guan Daosheng aventurou-se a expressar-se com o pincel, um utensílio autenticamente másculo.
Com ele, uniu três tipos de linguagem – a escrita, a caligrafia, a pintura – para exprimir as suas emoções. A pura, casta e obediente esposa tornou-se numa mulher de intensos afectos que se identificou com o bambu.
Esta planta que tem um lento, mas forte, desenvolvimento subterrâneo, só brota à superfície da terra anos depois de ser semeado. Depois, as suas folhas reflectem suavidade aliada à brisa do vento, enquanto o tronco verga sem se partir.
Estas subtilezas, conjugadas no modo feminino, permitiram a Guan Daosheng perspectivar o mundo.
Encaremos a vida através dos seus ditos, escritos ou pintados e veremos que a natureza humana não está diferente do passado. Urge serenar neste universo de guerras e competições.

Para esta sessão, contaremos com a participação de:
Ma Teng (Calígrafa) – Vida e Obra de Guan Daosheng
Ao Ieong Chack Weng (Calígrafo) – A arte da caligrafia chinesa.
Ieong Tai Meng (Pintor) – Pintura tradicional Chinesa.
Ou Io Nam (Calígrafo) – A caligrafia e poesia de Guan Daosheng.
Wan Chi Seng (Pintor) – Interpretação da obra pictórica de Guan Daosheng.

A sessão será realizada em cantonês, com interpretação simultânea para português.

A entrada é livre, mas sujeita a limite, em virtude do cumprimento das medidas sanitárias regulamentares em vigor.

Estão todos convidados para virem até à Fundação Rui Cunha no sábado, 1 de Agosto pelas 16:30 horas, respirar a frescura de um bambuzal!

Por Macau, Mais e Melhor!


Ver Mais
New Economic Challenges
22-07-2020
22 de Julho, pelas 18h00 (Macau) – 11h00 (Lisboa)
Webinar coorganizado pela Fundação Rui Cunha e Jornal Plataforma
Oradores Convidados:
Sam Tou – Director Executivo, Banco Nacional Ultramarino
Angus Cheong – Fundador e CEO da eRS Innovation & Insights
José Sales Marques – Presidente do Instituto de Estudos Europeus de Macau
Moderador: Paulo Rego – Director-Geral do Jornal Plataforma

A Fundação Rui Cunha e o Jornal Plataforma realizam, na próxima quarta-feira, dia 22 de Julho, pelas 18h00 (Macau) – 11h00 (Lisboa), um Webinar sobre os novos desafios económicos de Macau inserido no ciclo de conferências Conversas Digitais.

As duas últimas décadas de Macau ficaram marcadas, não apenas pela criação da Região Administrativa Especial, mas sobretudo pelo crescimento vertiginoso da economia do território, fruto da explosão (liberalização) da indústria do jogo.
Marca d’água da RAEM, os casinos transformaram a cidade, elevaram a qualidade de vida dos seus residentes, aumentaram exponencialmente as receitas públicas e, acima de tudo colocaram este pequeno território no mapa das cidades com maior PIB per capita do mundo.

Contrariando as projeções para o ano de 2020, a crise pandémica que a todos nos assola, revelou, mais uma vez, um conjunto de fragilidades na estrutura económica de Macau que urge solucionar.
A excessiva dependência da indústria do jogo e insuficiente capacidade da economia local, associada à escassez de mão-de-obra qualificada para a tão falada via da diversificação económica, são apenas alguns dos exemplos que importa suprir.

Num tempo de total incerteza para o Mundo, Macau tem, agora, possibilidade de se reinventar naquele que é o maior projecto político e económico dos últimos anos na República Popular da China – A Grande Baía.

Com um mercado de mais de 100 milhões de pessoas e espaço físico para crescer (Hengqin), esta é uma fantástica oportunidade para Macau se expandir e se consolidar no xadrez regional, o qual o catapultará, inevitavelmente, para a tão almejada diversificação económica do território.

Macau: New Economic Challenges é, pois, o mote para uma conversa digital, entre as 18h e as 20h00, a qual contará com os seguintes oradores:
Sam Tou – Director Executivo, Banco Nacional Ultramarino
Angus Cheong – Fundador e CEO da eRS Innovation & Insights
José Sales Marques – Presidente do Instituto de Estudos Europeus de Macau

Como moderador, contaremos com a participação de Paulo Rego, Jornalista e Diretor-Geral do Plataforma, marca que publica um semanário bilingue em Macau e gere um site em Português, Chinês e inglês com audiências espalhadas por todo o mundo lusófono (www.plataformamedia.com).

À semelhança das conferências presenciais, também este webinar terá uma sessão de perguntas e respostas, mediante inscrição prévia através do link

https://zoom.us/webinar/register/WN_1BIN6kdiRqKfp3npoNAW9w

Todos os interessados poderão assistir ao webinar em directo nas páginas da Fundação Rui Cunha e do Jornal Plataforma no Facebook.

Este webinar será realizado em língua inglesa.

São todos muito bem-vindos a este espaço virtual Fundação Rui Cunha e Jornal Plataforma.

Por Macau, Mais e Melhor!


Ver Mais
Semana de Cultura Chinesa
15-06-2020
A Fundação Rui Cunha, o jornal Hoje Macau e a editora Livros do Meio promovem, de dia 15 a 19 de Junho, uma Semana de Cultura Chinesa, na Fundação Rui Cunha, na qual serão lançados e apresentados sete livros traduzidos do Chinês para Português.

Durante cinco dias, pelas 18:30 horas, o público de Macau, falante de Português, poderá estabelecer um contacto próximo e profundo com a Cultura Chinesa.

Pensamento, poesia, etnografia, estratégia militar e teoria da pintura serão os temas abordados na apresentação e lançamento dos referidos livros.

Assim, na segunda-feira serão apresentados dois importantes livros do Cânone Confuciano: “Estudo Maior” (Da Xue) e “A Prática do Meio” (Zhongyong).
Na terça-feira será a vez de “As Leis da Guerra”, de Sun Bin (Sun Bin Bing Fa), um descendente de Sun Zi, o autor da famosa “Arte da Guerra”.
Quarta-feira é o dia da estética com a apresentação de dois volumes de ensaios fundamentais sobre a pintura clássica, do século VI ao século XVIII: “Os Eixos da Tradição” e “O Fascínio do Gesto”.
Na quinta-feira teremos o “Divino Panorama – Um Inferno Chinês”, um texto que reúne influências do budismo, taoísmo e confucionismo, na construção de um mundo infernal onde as almas dos mortos se expurgam dos erros e pecados cometidos em vida.
Finalmente, na sexta-feira será a vez da poesia, com o lançamento de “Balada do Mundo”, de Li He, um celebrado poeta da dinastia Tang.

À excepção dos dois primeiros – que apresentam uma tradução renovada e contemporânea, repleta de notas explicativas e textos introdutórios ao pensamento chinês – nenhum destes volumes foi antes traduzido para Português.

Todas as sessões serão realizadas em língua portuguesa, com interpretação simultânea para Cantonês e Mandarim.

A entrada é livre, mas sujeita a limite, em virtude do cumprimento das medidas sanitárias regulamentares em vigor.

Semana da Cultura Chinesa em Macau - Jornal Hoje Macau

Contamos consigo!
Por Macau, mais e melhor!




Ver Mais
Dr. Stanley Ho - 1921-2020
26-05-2020
O Presidente da Fundação Rui Cunha, Dr. Rui Cunha, manifesta o seu mais profundo pesar pelo falecimento do Dr. Stanley Ho, conhecido empresário e figura incontornável da história de Macau, do século XX.
Radicado em Macau desde muito cedo, é na década de 60, do século passado, que conquista o monopólio da exploração do jogo no território, o qual manteve até aos anos 2000, altura em que o mesmo foi liberalizado, sem no entanto ter perdido a hegemonia no sector.
Exímio homem de negócios e eternamente reconhecido à terra que cedo o acolheu, deve-se a Stanley Ho obras estruturais na modernização de Macau, nomeadamente a dragagem dos canais de navegação, a construção do Centro Cultural, do aeroporto internacional ou até a constituição da companhia aérea de bandeira – Air Macau.
Num dia, especialmente, triste para todos os que com Stanley Ho conviveram, pessoal e profissionalmente, o Presidente da Fundação Rui Cunha, presta eterna homenagem ao homem com quem trabalhou ao longo de mais trinta anos, e cujos ensinamentos, apoios e ajudas foram a pedra angular da construção do caminho trilhado até aqui.
O seu vastíssimo conhecimento, a lucidez viva do seu espírito e o permanente interesse pela cidade que o acolheu, são legados perpétuos que jamais esquecerá.
A vida não é mais que a arte do encontro, na qual criamos uma teia de sentimentos onde processamos todos os relacionamentos e onde alimentamos a coesão dos acontecimentos.
No dia em que Macau perde uma figura da sua história, o Presidente da Fundação Rui Cunha, perde um grande amigo pessoal, apresentando a toda a família a expressão da sua já grande saudade, mas, sobretudo, de eterna gratidão.
CONSULTE TODOS OS DESTAQUES
Agenda Jurídica 2020
Site by omsite.com